sexta-feira, novembro 30, 2007

Hora COCA-COLA no IST

Como já é do conhecimento dos prezados leitores, o Instituto Superior Técnico (IST) é um ecossistema especial – à margem da taxonomia.

Contudo, no decorrer dos últimos anos tenho constatado que, ao contrário do que muitos presumem, estes mamíferos não se dedicam apenas aos livros. Existem também algumas actividades sociais paralelas.

Por exemplo:
Recentemente descobri que as minhas colegas da cave da Torre Sul, assistem ocasionalmente (mais do elas desejariam) a um espectáculo gratuito de malabarismos “mano-fálicos” na janela do laboratório.
De facto, a posição elevada e recondita da janela, aliada às suas grandes dimensões, favorecem-na como um palco de excelência para estas manifestações de arte “pudi-bundica”.

O meliante, apesar das queixas, nunca foi apanhado pelos seguranças.
Há que relembrar que esta malta, ainda que sofra profundas influências extraterrestres, está longe de ser parva...

Concluindo:
Não sou psicólogo, mas parece-me evidente que existe aqui um dualismo complicado de resolver:

- Será que o libertino gosta que as pessoas não gostem de ver pornografia durante a hora de expediente? (pelo menos ao vivo…)

- Ou será que o indivíduo apenas tem dificuldade em compreender que as pessoas só apreciam aquelas figuras em despedidas de solteira?

quinta-feira, novembro 29, 2007

DESGRAÇA e os princípios da sua causalidade

DESENVOLVIMENTO (continuação)

Princípio número 2:

Interpretação (B) do crente em entidades espirituais maquiavélicas:
Neste caso, o galheiro = cornudo = diabo

O diabo é sempre uma causa segura de desgraça, tem as costas largas e merece arcar com as desgraças todas.

“Foi pó galheiro”, é então a objectivação da desgraça que ninguém quer assumir – de facto, a culpa só morre solteira entre descrentes. Os outros livram-se dela com maior facilidade atribuindo-a a alguém que foi eternamente condenado.

Obviamente que este código criminal trás profundas limitações ao cristianismo, pois devia ser Cristo a carregar as nossas culpas e não o diabo.

Aplicação:
De acordo com o que tem sido proposto, o que dizer da participação do Benfica na Liga dos Campeões?

Foi pó maneta? Ou foi pó galheiro?

quarta-feira, novembro 28, 2007

O segredo?

O segredo é Knorr!

Um cubinho de galinha dentro dos calções do Kaka…

… e do resto a Natureza se encarregará.
.

terça-feira, novembro 27, 2007

tea


duas prendinhas para duas gravidíssimas... um cházinho de Luci-lima..

segunda-feira, novembro 26, 2007

Inflação cinematográfica

Ainda não vi o filme “Corrupção”, nem li o livro da senhora Carolina, mas rendo-me às coisas insignificantes. A Margarida Vila Nova inflaciona a Carolina.

Mas acho que isso não muda nada, pois a Carolina inflaciona-se mais a si própria do que a Margarida alguma vez conseguirá inflaciona-la.
Aquela expressão de arrependimento, atrevimento e consciência moral é um cocktail muito poderoso e complicado de reproduzir.

Pelo que vi na apresentação, é mais fácil a personagem do Nicolau Brayner.

Mas não desconfio deles como desconfio da “Letra L”. Há uma beleza que é intrínseca à realidade crua – que é o que me faz pensar/gostar quando assisto a estas projecções.

Contudo, admito estar a ser injusto, se o “L" for de “Lingerie” , então a série está muito bem conseguida.

sábado, novembro 24, 2007

Eu, eu e mais eu... e ainda eu...?

Pois é, a pedido da Sara lá vou eu fazer mais uma das minhas inesperadas aparições... eheheh... segurem-se à cadeira que nunca se sabe o que pode sair daqui... nem eu sei...! Vou tentar que não descambe. prometo.

Praticamente todos os dias dou uma vista de olhos pelos blogues, para ter notícias do que se vai passando na Margem Sul, arredores, e não é que dou com a menina do Made With Love a acicatar-me e a dizer que eu escrevo pouco?!?!? Ora esta, hein!

Escrevo é poucas coisas com interesse, isso sim... porque lá escrever, escrevo eu muito... oh se escrevo, nem era preciso tanto! Não escrevo é muitas coisas com interesse para a sociedade... passo o dia inteiro a dar aos dedos... e a que velocidade... mas é só mesmo parlapier aprendido sabe-se lá onde e com quem, de Sra. Gestora de Clientes da Rumos SA...

Enfim... foi o que me calhou na rifa... se calhar é mesmo verdade que cada um tem o que merece. Se eu acreditasse na reencarnação diria que esta minha vida, que é só sofrer... seria a paga de algo mesmo muito mau que tivesse feito em vidas anteriores. Talvez tivesse sido uma Dona Branca, uma Cláudia Vieira, ou algo bem pior.

Nos dias que correm, a falta de computador já nem sequer serve como desculpa para não aparecer na blogosfera, dado que cá em casa há um portátil por pessoa. Nesta casa até da sanita já se pode aceder à conta bancária, escrever e-mails ... ou posts...!!! Eheheh... não se preocupem, caros leitores, que estou comodamente sentada no escritório... não comecem a divagar.

Se os cães soubessem ler e escrever, estou convencida de que ainda apareceria por aqui mais um computadorzinho... não fosse os que cá existem não serem os suficientes... eheheh...

Ler e escrever não digo... mas a minha Vicky já quase deve saber fazer contas de dividir com dois números. Com tão excelente professor e explicador cá em casa, lá para o final do ano lectivo já tem o Diploma das Novas Oportunidades afixado por cima do prato da água e da ração, assinado de cruz e carimbado pela própria pata.

Não vou contudo responder ao desafio e escrever um monte de frases sobre mim própria começadas pelo monossílabo EU, mas numa aparição futura, que espero fazer em breve, prometo partilhar convosco algumas coisas acerca daquilo a que chamo o meu dia-a-dia.
Não criem muitas expectativas pois não deve existir criaturinha mais desinteressante à face da terra. Só vos posso adiantar que vivo a um ritmo frenético. Não tenho tempo para as coisas nem para as pessoas de gosto.

Ando tão stressada e com os nervos tão à flor da pele, que é bem possível que da próxima vez que me vejam eu já use pulseirinha electrónica... não bem como esta aqui da foto... mas parecida...

Das duas três: Ou isto acalma, ou sou visitada pelo espírito do Natal Passado, ou ainda serei capa do Jornal "O Crime".

Ah! Lembrei-me agora: Mandarem-me de volta para a República Dominicana também serve!

sexta-feira, novembro 23, 2007

DESGRAÇA e os princípios da sua causalidade

DESENVOLVIMENTO (continuação)
Princípio número 2:
A segunda causa da desgraça são as pessoas com cornos – os galheiros (cornudos)

Neste caso são admissíveis duas alternativas de interpretação, dependendo da crença do interlocutor em entidades espirituais maquiavélicas.

Interpretação (A) do descrente em entidades espirituais maquiavélicas:

Galheiro será alguém que tenha sido enganado no seu relacionamento conjugal – e neste caso trata-se de uma desgraça que surge por negligência. Não será por acaso que se diz “o corno é sempre o último a saber”…

Esta interpretação aplica-se sempre que a desgraça ocorra apesar da nossa capacidade para a evitar. Quando o desgraçado profere “foi pó galheiro” ele identifica-se como o galheiro – impotente para conter a desgraça que sucedeu por falta de recursos ou inoperância.

Porém, esta interpretação contém um furo constitucional, sempre que numa situação de desgraça, não exista uma alma que se identifique como “o galheiro”.
Uma situação que também está prevista no léxico popular, à qual se aplica o provérbio: “ a culpa morre solteira”.

Neste enquadramento, torna-se clara a única explicação lógica deste provérbio: como os interveniente eram todos solteiros, ninguém pode ser o cornudo.

Depois de proferidas as palavras libertadoras deste provérbio os interlocutores podem voltar ao seu descanso, pois tudo não passou de uma ocorrência estocástica – um acaso - uma vississitude do caos.

(... a continuar...)

quinta-feira, novembro 22, 2007

muitos eus...

Eu quero... ir para a minha casa
Eu tenho... frio
Eu acho... que devia opinar mais
Eu odeio… incoerência
Eu sinto... coisas estranhas
Eu escuto... árvores a abanar
Eu cheiro... o chá
Eu imploro... a estudantes para que vivam em comunidade
Eu procuro... criatividade nas coisas
Eu arrependo-me... de passar e não parar
Eu amo... pessoas
Eu sinto dor... nas costas
Eu sinto falta... dos meus mamiferos
Eu importo-me... com detalhes
Eu sempre... aproveito móveis velhos
Eu não fico... à espera muito tempo
Eu acredito... que a justiça e a paz começam agora comigo e não um dia
Eu danço... sózinha
Eu canto... muito alto e desafinadérrima para toda a gente ouvir
Eu choro... com injustiça
Eu falho... e não esqueço facilmente
Eu luto... por reconciliação para toda a criação de Deus, incluindo pessoas
Eu escrevo... com letra muito graaaaanddddeeee...
Eu ganho... presentes!
Eu perco... o interesse facilmente por banalidades
Eu nunca... faço tudo o que esperam de mim
Eu confundo-me... acerca do futuro
Eu estou... a escrever um post que nunca mais acaba para responder à Bytes
Eu fico feliz... por saber que alguém deixou de viver para si mesmo
Eu tenho esperança... que isto acabe antes das 2:00 am
Eu preciso... duma consulta no medico de familia
Eu devería... ir marcar a consulta...

quarta-feira, novembro 21, 2007

Inflação televisiva

Estou desconfiado que as senhoras, que se envolvem sexualmente com outras senhoras, não sejam todas giras e sexys.

terça-feira, novembro 20, 2007

Tá louco…

Num rasgo de lucidez, oportunismo e genialidade alguém decidiu criar ateliers de arte no Júlio de Matos e dar telas e tintas aos residentes.
Ainda mais interessante foi alguns artistas de arte contemporânea terem exposto as suas obras juntamente com os doentes.

De certeza que se deram todos lindamente...

segunda-feira, novembro 19, 2007

DESGRAÇA e os princípios da sua causalidade

Tese em fenómenos desfavoráveis – por T. Intergaláctico

INTRODUÇÂO
As razões pelas quais a desgraça nos visita são muitas vezes incompreensíveis. Contudo, no sapiente léxico popular estão definidos alguns princípios de causalidade pelos quais nos podemos orientar.

OBJECTIVO
Nos próximos posts publicarei um novo tratado sobre a consciência da desgraça que temos presente no nosso léxico, mas que proferimos inconscientemente.

RESUMO
Existem dois princípios de causalidade fundamentais para a desgraça: os Manetas e os Galheiros.

DESENVOLVIMENTO
Princípio número 1:
Pessoas sem mãozinhas – os manetas

Neste caso, o desafortunio de não possuir mãozinhas confere-lhes a capacidade de destruir tudo o que lhes chega à mão – que eles não têm...

A expressão “foi pó maneta” é portanto uma expressão de graça para com a desgraça. De graça, por ser imputável ao maneta a responsabilidade pela destruição que causou, e de graça porque tem uma certa piada imaginarmos o maneta a tentar manipular o item que foi destruído.

(... a continuar...)

quinta-feira, novembro 15, 2007

O verdadeiro guitarrista

Ao longo dos anos tenho-me apercebido que os guitarristas toleram a presença de outros músicos apenas por uma questão ergonómica.
Até os jogadores de basquetebol necessitam de recorrer a um escadote uma vez por outra.

No fundo, o que eles apreciavam era conseguir tocar sozinhos os instrumentos todos.

Até hoje isto não passava de um produto da minha imaginação - pois nunca havia imaginado que seria possivel assistir à personificação deste estereótipo.

quarta-feira, novembro 14, 2007

grávidas...


isto foi a melhor desculpa que consegui arranjar para tirar a Cláudia Vieira do meu caminho..
um miminho para uma grávida que tem estado hibernada há vários meses, a Dirce.

sexta-feira, novembro 09, 2007

Ofuscação

Viagem de comboio para Lisboa. E eis que surge a Cláudia Vieira…
Caminhada matinal pela avenida de Roma. E eis que surge a Cláudia Vieira…
Viagem de Metro apertada na linha amarela. E eis que surge a Cláudia Vieira…


É necessário muito treino e disciplina mental para apreciar lingerie !

quinta-feira, novembro 08, 2007

andaimes

A minha casa está a ser pintada por fora, 3 pessoas do sexo masculino a conversarem de um andaime para o outro, e desde segunda feira que trabalho, reflicto e concentro-me ao som do Rádio Clube Português.

segunda-feira, novembro 05, 2007

Foi há precisamente dois anos…

Entre um beijo e outro disseste-me: “Agora já não te largo mais.”
:)