segunda-feira, julho 23, 2007

Algo que nos escapa


Observei que as crianças suecas correm, lutam e rebolam pelo chão, pelo que concluo que são putos normais e saudáveis.
Quando ficam grandes produzem e exportam a mais alta tecnologia do mundo, isto apesar de habitarem num país de gelo e serem apenas 9 milhões.

Há um fenómeno qualquer que acontece durante a adolescência destes pequenos vickings que é desconhecido fora da Escandinávia.

sábado, julho 21, 2007

"quero a ajuda do público"


"around a rosie a pocket full of posies"

O que dizem vocês que isto é?

sexta-feira, julho 20, 2007

Relatórios da Escandinávia

Pelo que observei até agora, posso relatar que os suecos são gente calma, ordeira e muito educada.
Acho que os vickings até na gestão genética foram iluminados, pois tiveram o discernimento de enviar os elementos problemáticos para as ilhas britânicas.
Por sua vez, os britânicos tentaram envia-los para a Austrália – mas acho que não foram tão bem sucedidos…

Obviamente que nesta selecção perderam alguns genes do futebol, mas não se pode ter tudo. Ou se é educado, ordeiro e muito eficiente ou se tem bom futebol.
Enfim, ficou-lhes o gene da tesoura – constou-me que no reino da Suécia a saída profissional mais procurada é a arte de cortar o cabelo.


De facto, os jogadores podem não ser muito bons, mas sempre tiveram cortes de cabelo de referência.

Quem é que não se lembra do emblemático Mats Magnusson?

terça-feira, julho 17, 2007

atrevo-me a publicar o seguinte pedido

Aceitam-se candidatos para experiência inesquecível: tomar conta desta criatura meiga, no periodo de 13 a 24 de Agosto.

motivo: obras na cozinha.
sub-motivo: os furões não gostam de ficar sózinhos; se levam o dia a esconder coisas, é para importunar alguém.
sub-motivo, alinea a: não queremos arcar com as consequências de ter um furão descontente e deprimido quando regressarmos, sob pena de represálias do próprio.
garantias: muita animação, mais não podemos garantir.
requisitos: ter um espírito "aberto"; verificar sempre a máquina de lavar roupa; ter frutos secos em casa como moeda de troca

segunda-feira, julho 16, 2007

No reino da rainha Silvia

A linha vermelha é o círculo polar árctico.

Os ossos do oficio trazem-me a esta bela nação em forma de falo. Bela e solarenga. São 23:00 e o sol persiste na minha janela - vicissitudes de estar em cima do círculo polar árctico (em Lulea) em pleno mês de Julho.
Acho que vou ter direito a uma hora de noitinha e perto das 2 AM o sol irrompe novamente.

Aqui é que o lusco-fusco rendia bem! O problema é que os 5 a 7 minutos muito intensos não se adequam ao norte da Suécia.
Na verdade, se há cidade que pode candidatar-se a capital do lusco-fusco é esta, eu até já ouvi dizer que nos meses de inverno eles matam-se todos de tanto lusco-fusco que apanham…

quinta-feira, julho 12, 2007

A eficiência da simpatia

Aos caros leitores desafortunados que passam por crises de ansiedade profunda quando precisam de algum documento do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Peço a vossa condescendência para esta limitação do carácter latino pois de facto nem sei que culpa lhes podemos imputar…
É porque nem se trata de uma questão ideológica ou etnológica, de facto nas nações onde estes problemas são muito mais representativos as pessoas são aparentemente simpáticas, pacientes e atenciosas. Ainda que nestes casos, exista uma inflexibilidade completa debaixo desta eficiente assertividade.

Os hominídios destas nações são muitas vezes descritos como frios e antipáticos, contudo podem ser extremamente eficientes na simpatia; da mesma forma que são extremamente eficientes em tudo aquilo em que os treinarem.
Por cá esta regra já não se aplica. Aliás, regras e malta latina é um paradoxo.

Enfim, à boa maneira do mediterrâneo, ponhamos a culpa nos genes ou no governo (que na essência vai dar ao mesmo). Ou então no sol…

terça-feira, julho 10, 2007

O posto que orgulhosamente se ocupa

Não há duvida que a malta que povoa as margens do mediterrâneo é a mais amigável e simpática. Porém, é com relativa facilidade que se podem converter estes mamíferos amistosos em fervorosos revisores da Gestapo.
Basta colocar-lhes um carimbo na mão.

sexta-feira, julho 06, 2007

Respiração estridente em cascata

Tenho constatado que a maioria dos mamíferos ficam embaraçados com aquele comportamento estranho e desconcertante que os humanos têm quando ficam deslumbrados com alguma coisa parva.

As hienas pertencem à exígua minoria que nunca se deu conta da singularidade deste comportamento.

segunda-feira, julho 02, 2007

Panciência ou paciência

Talvez seja um trocadilho rude, mas garanto-vos que expressa eficientemente os desencontros de quem observa analiticamente os acontecimentos do quotidiano e se esforça por divulgar as relações de causalidade aos que não possuem esse dom.