segunda-feira, julho 24, 2006

Se estiverem pelos Algarves, apareçam!

sábado, julho 22, 2006

Um presente do meu daddy



... para a enorme parede vazia da sala.

sexta-feira, julho 21, 2006

sinais

O pêlo da Luna está a voltar ao normal (chocolate e não "russo"), o primeiro sinal de esperança para 5 mamíferos enclausurados à volta de um Tratado, uma Tese ou qualquer coisa que finalmente parece estar a cumprir os seus propósitos.

segunda-feira, julho 17, 2006

"Take care of yourself" / "how to ruin your garden"

Nestes dias de trabalho reflectimos um pouco sobre o tema "Take care of yourself" com boas dicas, bons avisos do Boss. Aqui ficam algumas:

"No meu envolvimento com o trabalho, preciso lembrar que as pessoas são mais importantes que funções, metas, objectivos"

"Há uma energia que é sempre requerida (output), mas passa por mim a entrada, a renovação (input)"

"Precisamos assegurar que a "piscina " não fica vazia"

"Muitas vezes o esvaziar é subtíl"

"Na natureza observamos equilibrio: inverno-verão; noite-dia; contracção-expansão"

"Muitas pessoas não aprendem sobre a necessidade de receber e vivem em permanente expansão; burnout"

"Respeitar os 3 descansos:
dormir à noite;
parar 1 dia/semana;
agendar retiros, de silêncio, de contemplação, em que criamos momentos para celebrar o descanso""

"O meu trabalho não é um fim em si mesmo, mas um instrumento, uma oportunidade. Não é para minha realizaçao pessoal ou para destacar minhas habilidades, mas parte de algo maior na minha vida"

"Outlook, MSN, telemóvel, etc, são para me servir e não para comandar a minha vida"

"gastos excessivos: acordamos atrasados todos os dias, ansiedade, actividade fisica durante o sono"

"A pressa não é do Diabo, é o Diabo!!!"

efeitos colaterais a longo prazo

Começam a surgir-me algumas dúvidas:
As praias existem ? Os 4 dias que passei no Alentejo (EM TRABALHO) não passaram de um sonho? Será que, apesar de acordada, não vou ter sempre o mesmo pesadelo recorrente com 4 letras : TESE ? Haverá vida para além de ... TESE ?????

domingo, julho 16, 2006

Hidden Place

Through the warmthest
Cord of care
Your love was sent to me
I'm not sure
What to do with it
Or where to put it
I'm so close to tear
And so close to
Simply calling you up
And simply suggesting

We go to the hidden place
That we go to the hidden place
We go to the hidden place
We go to a hidden place

Now I have
Been slightly shy
And I can smell a pinch of hope
To almost have allowed once fingers
To stroke
The fingers I was given to touch with
But careful, careful
There lies my passion, hidden
There lies my love
I'll hide it under a blanket
Lull it to sleep

I'll keep it in a hidden place
I'll keep it in a hidden place
Keep it in a hidden place
Keep it in a hidden place
He's
The beautifullest
Fragilest
Still strong
Dark and divine
And the littleness of his movements
Hides himself
He invents a charm
That makes him invisible
Hides in the air
Can I hide there too?
Hide in the air of him
Seek solace
Sanctuary

In that hidden place
In a hidden place
In a hidden place
We'll stay in a hidden place
Ooohh in a hidden place
We'll live in a hidden place
We'll be in a hidden place
In a hidden place

Bjork, 2001. Vespertine.

sexta-feira, julho 14, 2006

Física vs Química

No canto esquerdo do ringue temos a nossa campeã internacional KELVIN! Uma autêntica máquina de caça com 4kg, capaz de aviar qualquer mamífero com o dobro do seu peso.
Derrotou por KO dezenas de traças e aranhas, que foram de seguida comidas por este fenómeno que a natureza nos concedeu! Um autêntico expoente de capacidade física!

No canto direito do ringue temos um pequeno insecto de 0,0001kg com a particularidade de ter um belo fato de luta amarelo e preto, de fazer inveja aos mais mediáticos atletas de luta livre.

O assalto começa, Kelvin agacha-se à altura da relva, salta em cima do insecto num gesto técnico difícil de igualar… e termina o confronto! Kelvin desiste num miado rouco. Uma pata inchada foi o suficiente para um KO ao primeiro assalto.


É assim... quem percebe muito de Física tem tendência para se confundir com a Química.

Para os leitores mais pequeninos, inexperientes nas artes de combate, fica aqui a advertência: cuidado com os insectos vestidos à lutador de wrestling.

terça-feira, julho 11, 2006

Muito tempo depois

Há muito tempo atrás comecei a escrever um tratado para a humanidade, depois achei que era melhor escrever apenas uma tese científica, mais tarde comecei a escrever o que valesse a pena… hoje, depois de quatro dias de trabalho ininterrupto, vejo-me prestes a concluir algo que não sei bem o que é, mas que vai cumprir os propósitos a que se enquadra.

Acho que vivi toda uma vida laboral em aproximadamente um ano, desde o entusiasmo do primeiro emprego até ao vazio da reforma.

quinta-feira, julho 06, 2006

Era dificil...

A Joana Brites foi descrita pelos historiadores da época como sendo uma mulher alta, forte e robusta com seis dedos em cada mão, que antes de ser padeira, ganhava a vida a combater com os homens nas feiras; uma dominadora.
Ainda assim, um maluco propôs-lhe casamento. E como se não lhe bastasse a audácia de querer desposar uma mulher destas, ainda teve o mau senso de apostar a sua vida pela mão de Joana Brites num confronto directo e armado com ela. Claro está que morreu.

Era portanto difícil que os genes deste colosso Algarvio fossem transferidos por linhagem directa para o resto dos portugueses.

Ainda assim diz-se que encontrou o amor aos 40 anos e teve uma filha que, segundo se consta, terá derrotado 1000 mouros.
Perdura a esperança.

terça-feira, julho 04, 2006

Meio hectare de terreno não os há-de livrar

Quanto a mim há um tipo de abordagem que transforma um simples comentador fala-barato num autêntico Mourinho.
Todos os génios desportivos ou militares sabem que em embates como o de amanhã são os pormenores que fazem toda a diferença. Os símbolos nacionais são nestes dias o pormenor mais importante, especialmente os símbolos femininos.

Os franceses têm a mítica Joana d’Arc, essa maluca que foi recentemente interpretada pela Milla Jovovich. De facto, queimar a Milla Jovovich não abona muito a favor dos franceses, só mostra que é malta que não dá valor ao que tem.
Os portugueses têm Joana Brites de Almeida uma padeira brutal com seis dedos em cada mão, nascida e criada em Faro, que exercia a profissão de padeira em Aljubarrota. Diz-se que emboscou e matou meia dúzia de castelhanos com um pau!

Os franceses não se deixam impressionar pela beleza, mas os genes da Brites vivem em cada português, e não seria a beleza que ela teria para lhes dar...

domingo, julho 02, 2006

Serei só eu?

Todas as nações estão associadas a personalidades que constituem símbolos de identidade nacional. Há um tipo de personalidades que me são recorrentes e tenho dificuldade em desassociar as nações respectivas dessas figuras.
Por exemplo:
Alemanha – Adolfo Hitler
França – Napoleão
Itália – Mussolini
EUA – (como neste caso a pessoa ainda está viva, vou evitar fazer associações que seriam confundidas com crítica fácil.)

Admito que possa ter alguma predisposição cognitiva para me lembrar de pessoas que se esforçaram para governar o mundo.